Nefrite Lúpica

Nefrite-Lúpica-zoom.jpg

 

O lúpus é uma doença auto-imune que pode afetar os rins (entre outros órgãos).

A forma como o lúpus afeta os rins não está diretamente relacionada com a forma como se manifesta em outros órgãos. Assim, mesmo que as manifestações noutros órgãos sejam ligeiras, o lúpus pode afetar os rins de uma forma agressiva. Isto implica uma vigilância atenta da função renal em todos os doentes com lúpus. Estes devem fazer análises de sangue e urina regularmente e, caso haja alguma alteração, ser imediatamente referenciados a um nefrologista.

A forma como a doença afeta cada pessoa pode ser muito variável: desde alterações apenas encontradas na análise morfológica de uma biopsia renal, a alterações que podem causar insuficiência renal terminal (fazer “parar” os rins). O nefrologista avaliará, de acordo com as alterações encontradas, quais os exames de diagnóstico e consequentemente as terapêuticas mais adequadas.

Com a nefrite lúpica devidamente acompanhada e tratada, os doente com lúpus podem ter uma vida normal. A prevenção é a palavra de ordem para evitar complicações e situações de maior gravidade.

Nas situações mais graves em que os rins param, as modalidades de substituição da função disponíveis para outras causas de falência renal estão também disponíveis para os doentes com nefrite lúpica, embora possam existir algumas particularidades.

Os doentes lúpicos em diálise habitualmente melhoram a atividade da doença, o que significa que a doença passa a afetar de uma forma mais ligeira os restantes órgãos. A doença em si não é uma contra-indicação para diálise peritoneal ou hemodiálise, de forma que a decisão do doente dependerá do que se adaptar melhor à sua vida. No que diz respeito ao transplante renal, também não há nenhuma contra-indicação, mas por vezes pode ser mais difícil encontrar um rim compatível.

Com a nefrite lúpica devidamente acompanhada e tratada, os doente com lúpus podem ter uma vida normal. A prevenção é a palavra de ordem para evitar complicações e situações de maior gravidade.

 

 

Se tem lúpus, não se esqueça de cuidar dos seus rins!

 

 

Ana Farinha - Nefrologista

 

 

Imagem: de chrisjtse via Flickr sob licença CC BY-NC-ND 2.0