Dia Mundial do Rim 2019: "Saúde Renal para Todos em Qualquer Lugar"

Dia Mundial do Rim 2019 - Saúde Renal para Todos em Qualquer Lugar

No dia 14 de março celebra-se o Dia Mundial do Rim.

A campanha de 2019 concentra-se na prevalência da doença renal na população, na necessidade do acesso a cuidados de saúde e na importância da prevenção, com o tema: “Saúde Renal para Todos em Qualquer Lugar”.

A doença renal crónica

Estima-se que 850 milhões de pessoas em todo o mundo apresentem doenças renais de várias causas e que estas sejam responsáveis por, pelo menos, 2,4 milhões de mortes por ano e são a sexta causa de morte. 

A doença renal crónica pode surgir como consequência de outras doenças ou ser uma doença primária (de origem) do rim. As causas mais frequentes de doença renal crónica são precisamente as primeiras.

Tanto a doença renal crónica como a lesão renal aguda contribuem para o aumento significativo da morbilidade e mortalidade e surgem principalmente nos grupos de maior risco, que incluem doentes com diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, obesidade, doenças autoimunes ou história familiar de doenças renais.

 

Situação em Portugal

Em Portugal, a prevalência de doentes em tratamento substitutivo da função renal tem vindo a aumentar anualmente e a incidência de doentes em diálise é uma das mais elevadas da Europa.

Segundo a ANADIAL, em Portugal, no final de 2016, dos quase 20 000 doentes renais crónicos em estádio 5, que se encontravam em tratamento de substituição da função renal, cerca de 60% realizavam hemodiálise, 37% eram transplantados renais e menos de 4% faziam diálise peritoneal. 

Mais de 90% dos doentes em hemodiálise são tratados em unidades privadas de hemodiálise convencionadas pelo Estado, devido à falta de oferta no setor público. Em relação à hemodiálise, a adesão à diálise peritoneal tem sido sempre muito baixa em Portugal, variando entre 5% a 10% nos doentes a iniciar tratamento e entre 3,5% a 6% nos doentes prevalentes entre 1997 e 2016.

Pelo contrário, a transplantação renal desenvolveu-se de forma expressiva em Portugal com taxas de transplantação renal que colocam Portugal entre os países que mais transplantam os seus doentes renais crónicos. Nos últimos dez anos foram transplantados entre 400 a 600 doentes por ano.

Dia Mundial do Rim 2019

Este ano, o Dia Mundial do Rim propõe-se, mais uma vez, a sensibilizar a população para o tema e alertar os decisores para a necessidade de estratégias que atuem ao nível da prevenção e de uma melhor gestão das doenças renais.

O lema “Saúde renal para todos e em qualquer lugar” remete para a aposta no acesso universal, sustentável e equitativo aos cuidados de saúde, que deve ser de qualidade elevada, nos diferentes grupos socioeconómicos.

Importa referir que o objetivo do Dia Mundial do Rim consiste em promover a saúde da população, garantir o acesso a cuidados de saúde e incentivar a medidas e práticas que mantenham e melhorem a saúde renal.

Especificamente, a organização do World Kidney Day apela aos governos e aos prestadores de cuidados de saúde de todos os países para que defendam medidas concretas para melhorar os cuidados renais: 

  • Incentivar e adotar estilos de vida saudáveis, tais como: 

    • manter uma boa hidratação

    • praticar exercício físico

    • fazer uma dieta saudável

    • evitar o tabaco

    • reduzir o consumo de sal e açúcar

  • Fazer rastreios de doenças renais nos grupos de maior risco.

  • Garantir que os doentes renais recebam os cuidados de saúde de que necessitam para atrasar a progressão da doença.

 

No próximo dia 14, voltamos a colocar a Doença Renal na agenda pública na esperança de que mais e mais pessoas estejam atentas a esta doença crónica que limita a vida de tantas pessoas e que, muitas vezes, surge sem aviso prévio. O caminho para a prevenção e para a luta por melhores condições de saúde renal está a ser traçado, mas é preciso que cada um de nós dê a mão à causa, espalhe a palavra e cuide dos que lhe estão próximos. Todos pelo rim neste Dia Mundial do Rim!

 

Pelo Rim

Bibliografia: