O Serviço de Nefrologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) deve ser alargado por telemedicina à região Centro até ao final de 2017 numa iniciativa que tem como objetivo aproximar a Nefrologia dos centros de saúde.

Segundo o diretor do serviço de Nefrologia do CHUC, Rui Alves, à agência Lusa, “esta é uma das nossas grandes apostas, que se insere no enquadramento de aproximação à medicina geral e familiar”. Rui Alves salientou que, no caso de existirem as condições técnicas, até ao final do ano, as consultas daquela especialidade podem ser disponibilizadas nos centros de saúde de abrangência do CHUC.

O Serviço de Nefrologia do CHUC, que é o maior a nível nacional, tratou 1.139 doentes, realizou 12.423 consultas externas e 14.133 sessões de hemodiálise, em 2016, tendo ainda participado em 125 transplantes renais, em estreita articulação com o Serviço de Urologia e Transplantação renal.

O especialista e professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra referiu que a “telemedicina é um dos grandes objetivos” e destacou a importância da aposta na prevenção de forma articulada com a medicina geral e familiar para evitar patologias no rim “que, ao contrário de outros órgãos, é silencioso na doença”. Importa salientar que a  doença renal crónica atinge uma em cada dez pessoas entre a população adulta e pode evoluir lentamente e sem grandes sintomas.

Vários estudos apontam as vantagens da telemedicina, como melhorar o acesso a cuidados de saúde, diminuir o número de hospitalizações e reduzir os custos ao ajudar os profissionais de saúde a gerir os tratamentos e a melhorar a adesão aos mesmos.

Desta iniciativa podem beneficiar, entre outros, os utentes que vivem em áreas rurais ou sem acesso fácil a médicos ou hospital, utentes que receberam alta hospitalar e precisam do acompanhamento ou seguimento atento e os que sofrem de doenças mais raras, graves ou múltiplas.
Imagem:
IMG_1693 copia de DAVID BURILLO sob licença CC BY 2.0