O Dia Mundial da Luta Contra a SIDA é comemorado por todo o mundo a 1 de dezembro.

Esta data tem como finalidade alertar a sociedade para a necessidade da prevenção e da precaução contra o vírus da SIDA e recordar todos os que faleceram e os que estão infetados com a doença.

Em 2015 o tema foi “Chegar a Zero”. O tema de 2016 é “Aceda aos Direitos de Equidade Agora”. O ano passado, o acesso ao tratamento da SIDA atingiu 15 milhões de pessoas, mas mais de 60% das pessoas com VIH continuam sem acesso à terapia antirretroviral. O objetivo do tema deste ano é chamar a atenção para as pessoas que ficam para trás neste acesso.

 

Definição de SIDA

A sigla SIDA designa a síndrome de imunodeficiência humana adquirida e corresponde a um estado avançado de deficiência adquirida resultante da infeção com o vírus da imunodeficiência humana (VIH).

 

A sigla tem o seguinte significado:

S = Síndrome – conjunto de sintomas e sinais que não dizem respeito apenas a uma doença.

I = Imuno – refere-se ao sistema imunitário através do qual o nosso corpo nos defende dos microrganismos causadores de doenças e infeções.

D = Deficiência – falha ou mau funcionamento. O vírus deixa o sistema imunológico deficiente.

A = Adquirida – resulta da ação de um agente externo ao organismo humano.

 

O VIH é um vírus muito poderoso que, ao entrar no organismo, dirige-se ao sistema sanguíneo onde começa de imediato a multiplicar-se, atacando o sistema imunológico, destruindo as células defensoras do organismo e deixando a pessoa infetada (seropostiva), mais debilitada e sensível a outras doenças, as chamadas infeções oportunistas que são provocadas por micróbios e que não afetam as pessoas cujo sistema imunológico funciona convenientemente. Também podem surgir alguns tipos de tumores (cancros).

 

Transmissão

Pode ocorrer de três formas:

  • relações sexuais;
  • contacto com sangue infetado;
  • de mãe para filho, durante a gravidez, o parto ou a amamentação.

 

Prevenção

  • Usar sempre preservativo nas relações sexuais.
  • Não partilhar agulhas, seringas, material usado na preparação de drogas injetáveis e objetos cortantes (agulhas de acupuntura, instrumentos para fazer tatuagens e piercings, de cabeleireiro, de manicura).
  • É preciso ter atenção à utilização de objetos, uma vez que se estiverem em contacto com sémen, fluidos vaginais e sangue infetados, podem transmitir o vírus.

 

Comportamentos de risco

  • Toxicodependentes que se injetam e partilham agulhas, seringas e outro material usado na preparação da droga para injeção.
  • Pessoas que não praticam sexo seguro, isto é, que não usam preservativos e têm mais do que um parceiro sexual.
  • Profissionais de saúde – acidentes com contacto com objetos cortantes contaminados (agulhas), ou com sangue, ou outros líquidos orgânicos, contaminados.

 

Em 2016 chegaram às praias testes rápidos para rastreio da SIDA

Segundo fonte da TSF, a iniciativa surgiu numa altura em que as taxas de novos diagnósticos têm vindo a diminuir na Europa. Em Portugal, a tendência também é de descida, mas a diminuição é lenta, embora o país apresente uma das taxas mais elevadas no aparecimento de novos casos. Tal se deve ao diagnóstico tardio que acontece em cerca de metade dos casos, isto é, quatro ou cinco anos após a infeção. Em Portugal, uma em cada três pessoas infetadas pelo VIH/SIDA desconhece que tem a doença.

Para evitar diagnósticos tardios, que afetam a qualidade de vida de quem tem o vírus e que aumentam o risco de transmissão do vírus, a Abraço rastreou perto de mil pessoas em várias praias portuguesas. Os testes rápidos foram feitos em carrinhas nas praias do Grande Porto e em tendas no areal ou no paredão das praias alvo da campanha na Grande Lisboa. Em 20 minutos as pessoas ficaram a saber o resultado.

 

A SIDA e a doença renal

O rim é um dos órgãos que pode ser afetado. A nefrologista Ana Farinha desenvolve o tema no seu artigo “SIDA e a doença renal”.

 

Evite comportamentos de risco e siga as recomendações de proteção.
Estar informado é fundamental.