Ler, também faz bem à saúde

 

Todas as sugestões de livros apresentadas são da editora Leya, nossa parceira.

 

O QUE EU APRENDI COM E.L.A*

de Bernardo Pinto Coelho

Amar, aceitar, acreditar e lutar. Um relato inspirador!

Sobre o livro:

A Bernardo Pinto Coelho foi-lhe diagnosticada Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A.). Sendo uma doença neurológica degenerativa, progressiva e rara, sem cura prevista pela medicina, os tratamentos são escassos e o processo de aceitação interior difícil.

No rescaldo da batalha que travou consigo mesmo, Bernardo percebeu que o segredo está em aceitar o que de bom e mau acontece na vida, em acreditar que entregar-se a Deus com um sorriso interior, o retorno será bem melhor do que se continuar revoltado e queixoso e, em lutar muito porque nunca foi de desistir. «Parar é morrer!»

Com uma força que lhe vem de dentro capaz de mover montanhas, Bernardo com a ajuda de seu pai, o médico Manuel Pinto Coelho, outros profissionais da saúde, toda a família, amigos e namorada, segue uma estratégia para si delineada que assenta em cinco pilares fundamentais – mente, alimentação, exercício físico, suplementação e psicoterapia – com a cura e a perspetiva de poder voltar a correr e a festejar a vida, como meta.

Um livro que nos ajuda a reagir às adversidades da vida, como dar valor ao que é bom na vida, como ser humilde, como partilhar em família os combates da vida, como enaltecer os melhores sentimentos, o amor e a amizade; como ter esperança, mesmo quando seria de admitir que fosse um sentimento impossível; como ser perseverante; e a importância de trabalhar em equipa.

 

Sobre a autora:

Bernardo Pinto Coelho autodefine-se como «um filho de Cascais», onde viveu a maior parte da sua vida. Cresceu a brincar na rua e na praia, a jogar futebol e a praticar todo o tipo de desportos, evidenciando-se em quase todos, com particular destaque para o golfe e o futebol – foi a mascote do Estoril Praia e poderia ter sido jogador.

Aos 37 anos foi-lhe diagnosticada Esclerose Lateral Amiotrófica (E.L.A.), uma doença progressiva e incapacitante que pode levar à morte em poucos anos. Bernardo e o pai, o médico Manuel Pinto Coelho, decidiram procurar novas vias de tratamento para evitar o desfecho fatal. Atualmente, Bernardo voltou a viver com o pai, tendo em conta a sua perda de mobilidade e perícia para desenvolver atividades do dia a dia, como apertar uma camisa.