Nos termos da Lei de Bases da Saúde, cabe ao cidadão um papel importante na promoção da saúde e no desenvolvimento do sistema de saúde que o serve. Neste processo de desenvolvimento, a participação do cidadão em geral e do utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em particular, ocupam o lugar de parceiro privilegiado nas mudanças que visam melhorar os serviços de saúde.

Deseja-se que o utente desempenhe um papel ativo e influente na melhoria das condições de saúde e da qualidade dos cuidados que lhe são prestados.

Em Portugal, os serviços oficiais para prestação de cuidados de saúde à população encontram-se organizados num SNS. Para além do SNS, existem diversos subsistemas de saúde, instituições de saúde privadas e profissionais em regime liberal.

Com o intuito de proteger os direitos dos utentes e promover o bom funcionamento do SNS, foi criada a Carta dos Direitos e Deveres do Utente. Enquanto utilizador dos serviços de saúde, deve conhecer os seus direitos e os seus deveres; contudo, pretendeu-se ser um pouco mais específico neste artigo e referir os deveres dos doentes renais crónicos.

Lembre-se que um utente mais informado sobre os serviços que tem à sua disposição, sobre as regras de utilização desses mesmos serviços e sobre os seus direitos e deveres, pode participar de modo mais eficaz no esforço de melhoria que se pretende.

Não deixe de enviar as sugestões e as recomendações de alteração que julgue pertinentes. Utilize o livro de reclamações de forma sábia. Para além do livro de reclamações, existe também o livro de elogios, pelo que faça questão de enaltecer o trabalho que alguns profissionais têm no exercício das suas funções para estimular a dedicação, o humanismo e o profissionalismo que cada vez mais têm de fazer parte desta área tão sensível e complexa, como é a saúde.

 

10 Deveres dos doentes renais crónicos
  • Serem compreensivos no que respeita à sua doença e tratamento.
  • É da responsabilidade do doente, contactar o médico ou o pessoal responsável pelos seus cuidados quando tem algum problema médico ou questões relacionadas com o funcionamento da Unidade onde faz o tratamento dialítico.
  • Aprender e seguir a dieta prescrita, a medicação e o plano de diálise.
  • Informar o médico/enfermeiro se notar alguma alteração na sua saúde.
  • Manter organizada toda a documentação que tenha sobre a sua doença (resultados de análises, resultados de exames, declarações, etc.).
  • Não faltar aos tratamentos.
  • Não faltar às consultas de diálise peritoneal contínua ambulatória (DPCA).
  • Nas situações em que tem de faltar, avisar o mais rápido possível de que não pode comparecer à marcação.
  • Ser pontual na hora de diálise e outras marcações. No caso particular da hemodiálise, cumprir com os horários dos tratamentos, pois o atraso de um doente vai interferir na vida de tantos outros doentes.
  • Manter os contactos telefónicos atualizados.

 

 

Imagem:
Standardized Patient Stock Photo de EdTech Stanford University School of Medicine sob licença CC BY-NC-NB 2.0