Esta notícia publicada no Dia Mundial do Rim de 2015 salienta a importância da prevenção ao nível da doença renal crónica e alerta para a importância da doença em si.

Aníbal Ferreira, membro da Sociedade Portuguesa de Nefrologia (SPN), foi convidado a falar sobre a doença renal no noticiário Edição da Manhã da SIC Notícias e recordou alguns pontos essenciais a reter.

Dr Aníbal Ferreira na SIC Notícias

Lembrou que, em Portugal, as doenças renais continuam a ser referenciadas tardiamente e que todas as entidades envolvidas neste processo devem desenvolver esforços para resolver este problema.

“(Os casos de deteção tardia da doença) continuam a acontecer e essa é a lógica de celebrarmos mundialmente este dia para chamarmos a atenção da população em geral para o facto de as doenças renais serem na grande maioria dos casos mudas até muito tarde”, afirma Aníbal Ferreira.

As doenças renais continuam a ser referenciadas tardiamente.

Atualmente, são cerca de 800 mil portugueses com insuficiência renal, o que constitui uma percentagem de 8% da população, um número que não é alarmante, mas que é importante controlar.

Em entrevista, explica que “na maior parte dos casos só conseguimos saber se o dente tem insuficiência renal se o doente fizer análises”, o que aumenta a importância de uma constante monitorização, principalmente em doentes com patologias que podem originar esta doença.

Todas as entidades envolvidas neste processo devem desenvolver esforços para resolver este problema.

“Mais de metade dos doentes que têm esta doença, têm-na associada a duas grandes patologias, a diabetes e a hipertensão arterial, por isso se conseguirmos controlar estas principais causas de doença renal, conseguimos fazer com que mais de metade dos doentes não evolua para estádios mais graves”, explica o membro da SPN.

Entre os tratamentos disponíveis a diálise é o mais conhecido, mas o transplante renal é o mais eficaz a todos os níveis. Aníbal Ferreira sublinha o bom posicionamento do nosso país, estando em segundo lugar ao nível europeu com mais transplantes renais por milhão de habitantes.

A importância do Dia Mundial do Rim para a sensibilização da população é inegável.

Na vertente da transplantação a partir de dador vivo, surge agora uma novidade que, embora seja ainda um nicho, mostra potencial.

“Já existe troca de órgãos de cadáveres, quando não são utilizados em Portugal passam para o espaço europeu. No caso dos transplantes cruzados é feito diretamente entre dadores dos dois países (neste caso Espanha)”, refere.

A importância do Dia Mundial do Rim para a sensibilização da população é inegável e, segundo Aníbal Ferreira, a principal mensagem a transmitir neste dia é a necessidade de prevenção, que pode passar pela monitorização de doentes com fatores de risco, como doenças cardíacas, diabetes ou hipertensão, ou simplesmente por estarmos informados sobre a as funções renais, fazer exercício ou evitar tabagismo.

 

Saiba mais em: https://www.youtube.com/watch?v=uWMKFllN4ds

 

 

Imagem:
Arco da Rua Augusta II de iT@c sob licença CC BY-ND 2.0