A anemia é a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal. A anemia pode ser causada por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas. A anemia causada por deficiência de ferro, denominada anemia ferropriva, é muito mais comum que as demais (estima-se que 90% das anemias sejam causadas por carência de ferro).

O ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese (fabrico) das células do sangue que transportam oxigénio para todas as células do corpo. Crianças, gestantes, lactantes (mulheres que estão a amamentar), meninas adolescentes e mulheres adultas em fase de reprodução são os grupos mais afectados pela anemia, muito embora homens (adolescentes e adultos) e os idosos também possam ser afectados.

O ferro é um nutriente essencial para a vida e actua principalmente na síntese (fabrico) das células do sangue que transportam oxigénio para todas as células do corpo

A anemia associada à Doença Renal Crónica (DRC) está presente em cerca de 90% dos doentes com taxa de filtração glomerular inferior a 25-30 mL/min. Este facto tem um grande impacto na qualidade de vida do doente renal.

A etiologia é multifatorial, mas a diminuição da produção endógena de eritropoietina por diminuição da massa renal parece ser o factor fundamental.

Crianças, gestantes, lactantes, meninas adolescentes e mulheres adultas em fase de reprodução são os grupos mais afectados pela anemia.

A anemia deverá ser tratada de modo a que o valor da hemoglobina se mantenha entre os 10 g/dl e os 12 g/dl. Para o tratamento deste tipo de anemia foi fundamental a introdução dos agentes estimuladores da eritropoiese (AEE); estes fármacos são fundamentais para a produção da hemoglobina nas pessoas com DRC em estádio avançado.

Como inicialmente referido, a alimentação tem um papel importante no controlo dos níveis de hemoglobina e, consequentemente, na prevenção e controlo da anemia. Contudo, muitas vezes não é suficiente para que a hemoglobina se mantenha nos valores atrás referidos.

A alimentação tem um papel importante no controlo dos níveis de hemoglobina.

No doente renal crónico, principalmente em hemodiálise (HD), a deficiência de ferro pode ocorrer muitas vezes relacionada com as frequentes perdas de glóbulos vermelhos associadas quer ao tratamento, quer às frequentes análises sanguíneas efetuadas. O ferro tem um papel muito importante na ajuda que dá à eritropoetina, permitindo por vezes até diminuir a dose deste fármaco.

Então, como podemos ajudar o nosso rim fornecendo uma alimentação mais rica em ferro? Ingerindo com mais regularidade os alimentos abaixo descritos. É importante alertar que nesta situação clínica temos de estar também atentos ao valor de potássio e fósforo dos alimentos. Assim, a quantidade de alimentos descritos tem de estar sempre de acordo com as necessidades do doente e será o nutricionista que indicará para cada caso a quantidade que pode ingerir sem incorrer em riscos para a saúde.

No doente renal (…), a deficiência de ferro pode ocorrer muitas vezes relacionada com as frequentes perdas de glóbulos vermelhos associadas quer ao tratamento, quer às frequentes análises sanguíneas efectuadas.

Fígado, carne vermelha magra (vaca), ovos, atum, salmão, cereais enriquecidos em ferro, são alguns exemplos de alimentos ricos em ferro. Os alimentos que se seguem, em particular em doentes com DRC, devem ser consumidos sob vigilância do nutricionista, pois têm um teor em potássio muito elevado: feijão, grão, frutos secos e hortícolas principalmente folhas verdes.

Para terminar, gostaríamos de realçar que é importante diferenciar entre alimentos contendo ferro na forma heme (origem animal) e não-heme (origem vegetal), sendo que os primeiros têm maior aproveitamento (em torno de 30%) que os últimos (em torno de 10%) do ferro que contêm. Há, ainda, uma importante relação da absorção do ferro com a restante alimentação, sendo os factores que mais contribuem para a sua maior absorção o pH ácido do estômago, a vitamina C e a proteína da carne.

 

Imagem:
abstract blood cells de Hector Lazo sob licença CC BY-SA 2.0

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here