Quais os cuidados a ter com os acessos vasculares

 

Cuidados com a fístula e a prótese

No pós-operatório:

  • Vigie os sinais de infeção:
    • edema/inchaço do braço;
    • dor;
    • pele quente e vermelha;
    • febre;
    • pus;
e comunique aos médicos/enfermeiros caso surja algum deles.
  • Vigie os sinais de problemas de circulação:
    • pele fria e pálida;
    • adormecimento ou dor nos dedos.
  • Vigie se o penso está sujo de sangue.
  • Verifique se sente frémito (formigueiro).

 

Ao longo do tempo:

  • lave diariamente o local da fístula/prótese com água e sabão;
  • evite roupas apertadas, relógio, joias, carregar objetos pesados no braço da fístula/prótese ou dormir sobre o braço do acesso;
  • não permita que lhe meçam a tensão arterial, retirem sangue, coloquem soro no braço onde tem a fístula/prótese;
  • vigie o funcionamento do acesso (frémito, pulso) e aspeto/coloração.
  • evite a exposição excessiva ao frio ou calor;
  • em caso de qualquer dúvida ou complicação, informe os profissionais de saúde, dirija-se ao Centro de Hemodiálise ou ao serviço de saúde mais próximo.

 

Na sala de diálise:

  • lave a fístula ou prótese antes de entrar na sala de diálise com água e sabão;
  • respeite a escolha do Enfermeiro no local das ‘picadas’, pois a mesma pode previr que ocorram complicações;
  • procure não movimentar o braço durante o tratamento;
  • realize a hemostase no final, fazendo pressão com uma compressa em cada local de punção, entre 5 a 15 minutos, em média;
  • em caso de hematoma será aplicado gelo local. Nos dias seguintes, EXCETO nos dias de diálise, pode ser aplicada pomada heparinóide (ex: Trombocid®). Após 24 horas, aplicar calor com pano ou saco de água morna;
  • em caso de hemorragia, faça pressão no local das punções com compressa dobrada e eleve o braço ao nível do ombro;
  • retire os pensos das punções 8 horas após a sessão de hemodiálise ou no dia seguinte.

 

Cuidados a ter com o cateter de hemodiálise

Em casa:

  • proteja o cateter durante os cuidados de higiene, evitando molhar o penso;
  • evite dormir para o lado do cateter. Não dobre ou puxe o cateter;
  • não mexa no penso. Se descolar, tente fixá-lo com adesivo próprio antes de poder ser efetuado novamente pela Equipa de Enfermagem;
  • em caso de hemorragia, verifique se as tampas e os clamps estão bem fechados ou se o cateter está ‘partido’. Nesse caso, comprima e dirija-se de imediato ao Centro de Diálise ou Urgência mais próxima;
  • em caso de saída acidental do cateter, comprima o local durante 10 a 15 minutos e dirija-se de imediato ao Centro de Diálise ou Urgência mais próxima;
  • se tiver febre sem causa aparente, informe os profissionais de saúde;
  • em caso de qualquer dúvida ou situação fora do normal relacionada com o cateter, comunique-os ao seu médico ou à equipa de enfermagem.

 

Na sala de diálise:

  • o risco de infeção é grande por possuir um cateter, sendo necessários cuidados específicos de enfermagem no manuseamento do cateter. O Enfermeiro:
    • verifica se o local de inserção do cateter apresenta pus ou outros sinais de infeção;
    • realiza o penso;
    • avalia a temperatura corporal;
    • qualquer manuseamento do cateter será feito pela enfermagem.

 

O envolvimento das pessoas com doença renal crónica nos cuidados prestados pelos profissionais de saúde e a obtenção de conhecimentos sobre o acesso vascular e cuidados a ter com o mesmo contribuem para a preservação do acesso e o seu bom funcionamento. Desta forma, estará a contribuir para a melhoria da sua saúde e bem estar.

 

 

Referências bibliográficas:

  1. Serviço de Nefrologia do Centro Hospitalar de Setúbal. (2011). Cuidados a ter com o meu acesso vascular: Cateter Central para Hemodiálise. Informação para o doente e família. Setúbal.
  2. Unidade Hospitalar de Chaves, Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro. Orientações sobre acessos vasculares para tratamento de hemodiálise. Acedido em 19 de janeiro de 2015 em: http://:www.chtmad.min-saude.pt/panfletos/acesso_vascular.pdf.
  3. NephroCare. (s.d.) Acesso vascular – A veia da sua vida. Acedido em 19 de janeiro de 2015 em: http://www.nephrocare.pt/para-doentes-e-familiares/tratamento-e-cuidados/duração-e-estratégia-do-tratamento/acesso-vascular-a-veia-da-sua-vida.html.

 

Imagens:
come on, fairy de girl/afraid sob licença CC BY-NC-ND 2.0