Dicas para melhor saborear a Páscoa

 

De entre os alimentos consumidos tradicionalmente, muitos apresentam elevados teores de alguns nutrientes que devem ser restritos nos diferentes estádios da doença renal, mas como resistir à tentação? Veja as nossas sugestões e aprecie os mimos da Páscoa, evitando comer distraído ou enquanto faz outras coisas, pois sem se aperceber, pode comer mais que devia.

 

Amêndoas

Doença renal pré-diálise (estádio 3 e 4) e em tratamento dialítico (hemodiálise ou diálise peritoneal).

  • As amêndoas têm uma quantidade apreciável de proteína e fósforo pelo que devem ser comidas com moderação.
  • Se vai comer amêndoas, separe logo as que pretende comer e evite ir depenicando de uma taça, pois tende a exceder a quantidade a ingerir.
  • Entre amêndoas cobertas com chocolate ou a tradicional tipo francês, opte por esta última categoria, pois, deste modo, evita juntar o fósforo e o potássio presentes no chocolate.
  • Resista a trincar a amêndoa de uma só vez e deixe o açúcar derreter-se lentamente na boca, isso vai prolongar a satisfação reduzindo a tentação de comer outra logo a seguir.
  • Se fez um transplante renal não terá estas restrições, mas mesmo assim não abuse das amêndoas doces (tipo francês ou chocolate), pois o excesso de doces pode contribuir para o aumento de peso e para a dislipidemia.

 

Ovos ou Coelhos de Páscoa

Doença renal pré-diálise (estádio 3 e 4) e em tratamento dialítico (hemodiálise ou diálise peritoneal).

  • O chocolate tem uma quantidade apreciável de potássio e fósforo pelo que deve ser comido com moderação.
  • Partilhe os chocolates com os seus amigos.
  • Na alimentação também se usa a regra ecológica de ‘reciclar’. Se lhe oferecerem mais de um chocolate pode sempre oferecer a um amigo (ou alguém necessitado) que não tenha as suas restrições alimentares. Vai ver que o prazer de oferecer suplanta o prazer de o comer.
  • O chocolate, se estiver à temperatura ambiente e for deixado a derreter na boca, oferece maior paladar, podendo reduzir a quantidade ingerida.
  • Se fez um transplante renal não terá estas restrições, mas mesmo assim não abuse dos chocolates, pois o excesso de açúcar pode contribuir para o aumento de peso e para a dislipidemia.

 

Folar doce e pão-de-ló

  • De entre os vários doces da Páscoa, estes são provavelmente os que apresentam menos restrições.
  • Apesar de terem açúcar e ovos, não têm uma concentração tão elevada dos minerais que os doentes renais não devem ingerir (sódio, potássio e fósforo) comparativamente com as amêndoas ou os chocolates da Páscoa.
  • Quem tem doença renal pré-diálise (estádio 3 e 4) e já ingere a quantidade recomendada de carne/peixe, deve abster-se de ingerir os ovos cozidos, pois são uma fonte extra de proteína.
  • Se está em tratamento dialítico (hemodiálise ou diálise peritoneal) ou fez um transplante renal não há necessidade de fazer restrição de proteínas pelo que pode comer estes ovos.

 

Folar salgado ou bola

  • Por ter vários enchidos, este folar tem um teor de sal elevado.
  • Se for habitual confecionar este tipo de folar, pode optar por uma versão com menos sal usando menor quantidade de enchidos, mas se habitualmente compra ou lhe oferecem o folar, opte por moderar a quantidade e tente compensar sendo mais restritivo no sal que adiciona aos restantes alimentos.
  • Não use alimentos processados, substitua o sal na confeção por ervas aromáticas e limão. Opte por manteiga e pão sem sal.

 

Imagens:
mesa de festa de pascoa de silvia dias jorge sob licença CC BY-NC-SA 2.0
Easter Bunny Leavings de arbyreed sob licença CC BY-NC-ND 2.0
rabitts! de Pulga Haza sob licença CC BY-NC-ND 2.0
Folar de Débora Figueiredo sob licença CC BY-NC-ND 2.0
Folar de Chaves de Elingunnur sob licença CC BY-SA 2.0

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here