Na hemodiálise, a restrição hídrica é um fator importante para o controlo da tensão arterial e, portanto, para a prevenção de doenças cardiovasculares. A ingestão excessiva de líquidos com consequente ganho excessivo de peso interdialítico (entre uma sessão de hemodiálise e a outra) causa alterações à tolerância das sessões de diálise, com risco de hipotensão, náuseas, cefaleias, cãibras musculares e edema agudo do pulmão.

A restrição de líquidos é um fator muito importante para a segurança e resultados do tratamento de diálise, para o controlo da pressão arterial e, consequentemente, para a prevenção de doenças cardiovasculares.

Neste sentido, são aqui deixadas algumas estratégias que os doentes renais crónicos podem utilizar para controlar melhor a sensação de sede e reduzir os líquidos:

  • Usar um copo pequeno.
  • Medir o líquido permitido e colocar numa garrafa. Dividir esse líquido ao longo do dia.
  • Usar pouco sal na confeção e não adicionar sal fino do prato.
  • Utilizar cubos de gelo. Conferem uma maior sensação de saciedade, mas é momentânea, podendo os doentes sentir mais sede posteriormente. Cada cubo de gelo contém +/- 30 ml de água.
  • Lavar a boca frequentemente, mas não beba esse líquido.
  • Limitar as bebidas gaseificadas ricas em açúcar, pois provocam sede.
  • Preferir bebidas quentes, pois eliminam mais eficazmente a sensação de sede.
  • Evitar comer sopa, pois esta é líquida ou, então, pode optar por comê-la mais enxuta, ou seja, retira mais “entulho” e menos líquido.
  • Tentar manter-se ocupado.

 

Imagens:
bottle on table de Len Matthews sob licença CC BY-NC-SA 2.0

SHARE
Previous articleMetabolismo da água
Next articleMetabolismo do sódio
Célia Lopes

Dietista. A minha experiência profissional é diversificada na área da nutrição clínica, alimentação coletiva, investigação científica, ensino e formação. Conheça mais…

1 COMMENT

Comments are closed.